24/11/2022

A nova exposição apresenta peças de uma das mais relevantes coleções do país, composta por moedas, medalhas e notas bancárias do antigo Museu Allen. A exposição inaugura a 27 de novembro e fica patente até final do ano na Casa do Infante. 


A Casa do Infante promete, a partir deste fim de semana, mais uma viagem no tempo, ao período da Idade Média, à Civilização Grega e até ao Império Romano. E tudo através das histórias associadas às moedas, aos denários, aos áureos imperiais, às notas e medalhas reunidas na coleção do Gabinete da Numismática, herança do Medalheiro

Allen, adquirido pela autarquia em 1850 para a constituição (mais alargada) do Museu Municipal do Porto.  



Nesta nova exposição, que conta com a curadoria de Rui Centeno, presidente da Sociedade Portuguesa de Numismática, podem ser ainda encontradas moedas suevas, visigodas e árabes hispânicas. Nos artigos expostos destaque, nos artigos expostos, para a bracteata em ouro, do século IV a.C., descoberta em Bragança em 1849, e para as moedas portuguesas, medievais e modernas, como os morabitinos de Sancho I.  


A mostra inclui ainda algumas medalhas relacionadas com as Guerras Peninsulares e as Lutas Liberais. 



Desde a sua origem, as coleções que agora são expostas foram enriquecidas por legados, ofertas, compras efetuadas pela autarquia e alguns achados na cidade realizados pelos serviços municipais. 


A exposição “Do Medalheiro Allen ao Gabinete da Numismática” inaugura no domingo, 27 de novembro, às 16h00, e conta com uma visita guiada (e gratuita) orientada por Rui Centeno e por Filipe Teixeira, arqueólogo da Câmara Municipal do Porto. Pode ser visitada de terça-feira a domingo, das 10h00 às 17h30.  


O Museu da Cidade associa-se, desta forma, à Sociedade Portuguesa de Numismática e ao sexto congresso nacional desta entidade, que decorre até sábado, 26 de novembro, no Auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garrett. 


Texto: José Reis

Ver também
Notícias