05/12/2023

Um verso de António Maria Lisboa inflama esta sessão dedicada aos arrebatadores músicos que, desde 2001, nos continuam a emocionar e a emulsionar nos palcos das Quintas de Leitura. Desafiamos alguns deles a confidenciarem-nos os seus poemas de cabeceira, poemas que os têm acompanhado estrada fora, versos feitos com as sílabas dos seus sonhos. Algumas dessas revelações são surpreendentes, desarmantes. De António Ramos Rosa a Jorge Sousa Braga, de Vasco Gato a Pedro Homem de Melo, uma douda correria através da moderna poesia portuguesa e não só. Maré alta! Poesia e música – a realidade misturada. Gritos veementes, instantes fosforescentes. — João Gesta

quinta-feira 21 de dezembro
Ver também