Parque Desportivo de Ramalde

Após vários anos ao abandono, o antigo "Campo de Ramalde", como era conhecido, foi reabilitado pela Câmara Municipal e devolvido novamente aos clubes e atletas da cidade, passando a ser gerido pela empresa municipal Ágora - Cultura e Desporto.


As obras de requalificação, num investimento de mais de 700 mil euros, permitiram dotar o equipamento desportivo de uma uma pista de atletismo em tartan, com seis corredores e medidas oficiais (de acordo com as normas da Associação Internacional de Federações de Atletismo), e de um campo de relva sintética de última geração, homologado para a prática de futebol de 11 e de rugby (segundo as especificações da FIFA Pro e da World Rugby, respetivamente.). O complexo reabriu as portas em abril de 2017.


A requalificação do antigo INATEL incluiu, ainda, a colocação de quatro novas torres de iluminação, com dois níveis de luminosidade (treino e competição), a instalação de um sistema de drenagem de águas de rega e pluviais, a substituição das redes de águas quentes e respetivas caldeiras, adaptando-as a gás natural, assim como a requalificação dos balneários e intervenção nas zonas ajardinadas exteriores.


O Parque Desportivo de Ramalde é atualmente utilizado por várias equipas da freguesia e da cidade, nomeadamente, pelas equipas de formação e de futebol feminino do Boavista Futebol Clube, dos escalões de formação e seniores do Ramaldense Futebol Clube, no caso do futebol; pelas equipas do Centro do Atletismo do Porto (CAP), Boavista e Associação de Atletismo do Porto, no caso do atletismo; e, no caso do rugby, pelas três equipas da cidade que atualmente se dedicam a esta modalidade: Sport Clube do Porto, CDUP e Escola de Rugby do Porto.


O parque tem também horários livres para utilização da população.


Situado na Rua do Dr. Aarão Lacerda, o Parque Desportivo de Ramalde ocupa uma área total de 55.100 metros quadrados, de acordo com um projeto datado dos finais dos anos 60 e da autoria do Arquiteto Alexandre Sousa. 


Na sequência de um protocolo assinado entre a autarquia e o Governo, em fevereiro de 2015, as instalações do equipamento foram cedidas à Câmara do Porto por um período de 20 anos, passando a sua gestão a ser assegurada pela empresa municipal Ágora - Cultura e Desporto E.M.. Após esta primeira intervenção, o objetivo da Câmara do Porto é avançar com a requalificação da envolvente, transformando-a num parque de fruição aberto à população.